Disco clássico: Face to Face inaugurou o período de ouro dos Kinks

Ray Davies não gostou da capa de “Face to Face”. “Queria que fosse preta e forte, como a musica do LP”, lembrou o líder dessa banda do Norte de Londres, “em vez de toda colorida”.

[Por Natasha Ramos] – Lançado em 1966, Face to Face foi o quarto álbum de estúdio dos Kinks e marcou uma mudança de atitude para Ray Davies, seu irmão e guitarrista Dave, o baterista Mick Avory e o baixista Pete Quaife.

Pela primeira vez eles passaram meses trabalhando num disco, dublando as faixas durante várias sessões. O disco também marcou o fim da parceria com o produtor americano Shel Talmy, cujo método de trabalho imediatista, utilizado até então, não servia para arranjos mais elaborados. Também foi o primeiro álbum dos Kinks cujas composições foram todas assinadas por Ray Davies.

O novo estilo de escrita começou, gradualmente, no ano anterior, com composições como “A Well Respected Man” e “Dedicated Follower of Fashion”, e em maio de 1966 com o hit “Sunny Afternoon”, que alcançou o top one no Reino Unido. A grande popularidade desta música provou a Davies e aos empresários dos Kinks que o grupo poderia encontrar o sucesso com esse estilo de composição.

O novo álbum iria seguir esse padrão, assim como os discos seguintes nos próximos cinco anos. O período de 1966 a 1971, inaugurada por este LP, viria a ser chamado de “era de ouro” dos Kinks.

“Party Line” abre o disco no melhor estilo rock’n’roll, enquanto “Dandy” segue o tom da sátira à Swinging London (período de efervescência cultural e modernismo de costumes de Londres, principalmente ligado à moda, durante a segunda metade da década de 1960) de um sucesso mais antigo, a “Dedicated Follower of Fashion”.

O restante do disco é mais profundo e denso. Ray explora seu estado mental frágil em “Too Much on my mind”; “Sunny Afternoon”, primeiro lugar nas paradas britânicas, deixa fluir o sentimento de cansaço do mundo em uma impecável linha descendente de baixo.

“House in the Contry” e “Most Exclusive Residence for Sale” se enquadram na visão geral de que o álbum é composto por um ciclo de canções sobre a sociedade inglesa. “Holiday in Waikiki”, uma homenagem a Chuck Berry, lamenta a comercialização do Havaí. “Fancy” é uma peça monocórdica inspirada nos ragas indianos, enquanto “Rainy Day in June” é coberta de trovoados e mistério.

Apesar de ter sido bem recebido pela crítica especializada na época, Face to Face não obteve um grande sucesso comercial ¬–ficou em 139° lugar na parada americana e em 13° na inglesa¬. Mas, foi um dos discos mais importantes na carreira do grupo por ter sido o precursor do período clássico dos Kinks.

Re-edições de Face to Face, desde 1998, incluíram faixas bônus de músicas lançadas como singles simultaneamente (mais notavelmente “Dead End Street”) e duas faixas inéditas.

Selo: Pye
Produção: Shel Talmy
Nacionalidade: Inglaterra
Duração: 38:31

Faixas:

Side 1
1. “Party Line” – 2:35
2. “Rosie Won’t You Please Come Home” – 2:34
3. “Dandy” – 2:12
4. “Too Much on My Mind” – 2:28
5. “Session Man” – 2:14
6. “Rainy Day in June” – 3:10
7. “A House in the Country” – 3:03

Side 2
8. “Holiday in Waikiki” – 2:52
9. “Most Exclusive Residence for Sale” – 2:48
10. “Fancy” – 2:30
11. “Little Miss Queen of Darkness” – 3:16
12. “You’re Lookin’ Fine” – 2:46
13. “Sunny Afternoon – 3:36
14. “I’ll Remember” – 2:27

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *