#JáOuviu? London Grammar

Sabe aquele velho costume de contar para um amigo sobre uma banda nova que você descobriu e que gostou muito, mas que (quase) ninguém conhece? Essa é a ideia da coluna #JáOuviu, do Palco Alternativo. Quem estreia essa nova seção são os britânicos do London Grammar

[por Andréia Martins]

Quem: London Grammar. O trio é formado por Hannah Reid, Dan Rothman e Dot Major, que se conheceram na universidade.

De onde vem: Nottingham, Reino Unido. A norte de Londres e a sul de Manchester, a terra natal de Bruce Dickson ainda não é lá um lugar de grande tradição na música britânica.

O que já fizeram: Gravaram o EP Metal & Dust e o disco If You Wait, ambos lançados em 2013. Deixaram os apresentadores da BBC e da rádio KEPX, um dos principais palcos para bandas alternativas nos EUA, boquiabertos, e tocaram no Jools Holland e no Glastonbury. Antes mesmo de ficar pronto fisicamente, If You Wait era favorito dos críticos na categoria de melhor do ano no Mercury Prize 2013 ao lado de discos de David Bowie e Foals. Acabaram não entrando na lista final, mas eles vão concorrer ao Britt Awards 2014 na categoria revelação. Resta esperar o resultado.

Quem vai gostar: quem curte Cowboy Junkies, trip hop, os vocais de Florence Welch e Anna Calvi.

Por que ouvir: A voz soprano de Reid é algo que chama atenção de qualquer bom ouvinte. Mas a banda tem seu trunfo na sonoridade, na voz combinada com arranjos feitos apenas com piano, guitarra e uma econômica percussão. Não há excessos, ruídos, a letra emerge junto com a voz de Reid, com a emoção sendo carregada pelos acordes dos dois instrumentos. As letras, embora inspiradas nos relacionamentos de Reid, dizem mais do que isso, e servem também para falar dos jovens que estão saindo da adolescência e entrando na fase adulta ainda sem saber o que querem da vida, com a impressão de que o relógio só acelera. Como ela mesmo disse ao The Guardian, “a maioria dos meus amigos está perdida”.

Por onde começar: “Wasting My Young Ears” traz Hannah mostrando seu potencial emotivo, na voz e na letra da canção, e a boa combinação entre guitarra, piano e batidas eletrônicas. Depois ouça: “Strong”, “Hey Now” e “Interlude”, “Nightcall” e essas te levarão às outras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *