#JáOuviu? French Films

Por Natasha Ramos

Quem: French Films. A banda abriu o show do Muse, em julho de 2013, no Estádio Olímpico de Helsinque, na Finlândia.

De onde vem: De francês, os meninos do French Films só tem o nome. Oriundos da Finlândia, a banda foi formada por Johannes Leppänen (guitarra e vocals) e Antti Inkiläinen (bateria), quando depois de tocarem em alguns shows da banda Yes, Please! de Mikael Jurmu (baixista que viria a tocar no French Films depois) resolveram montar sua própria banda. Leppänen então conheceu, em um pub local, o guitarrista Joni Kähkönen, que lhe apresentou para Santtu Vainio (sintetizador, vocais). Em outubro de 2012, Mikael deixou a banda, que ganhou Tuomas Asanti como novo baixista e Joni foi substituído por Max Salonen no começo de 2014. Ufa!

O que já fizeram: A banda é relativamente recente, nasceu em 2010 e leva na bagagem o EP Golden Sea foi bem recebido pela crítica de rock independente e, o disco de estréia, Imaginary Future (2011), que seguiu na mesma linha sonora do EP, agradou aos ouvidos de quem estava esperando uma sequência daquele rock sujo e lo fi, um mix da aspereza do punk com a suavidade do dream pop. Dois anos depois, a band lançou White Orchid, em 2013, pela GAEA Records (assim como o disco anterior).

Quem vai gostar: Fãs de Vaccines, Strokes, indie rock, garage rock, post punk.

frenchfilms

Por que ouvir: a banda foi a vencedora, em 2013, do European Border Breakers Awards, prêmio que reconhece o sucesso dos dez artistas ou grupos promissores que atingiram um público considerável fora de seu país de origem.

Por onde começar: inicie a audição do FF pelo EP Golden Sea, quatro músicas que vão te dar uma boa ideia da proposta da banda, que vai desde um rock mais cru e enérgico com a “Take you with me” à uma baladinha mais soft com a “Lift me Up”. Depois de ouvir a quadra de faixas, ouça as outras vinte músicas dos dois discos seguintes sem parar. O som do French Films é direto: ou você gosta, assim, logo de cara, como se tivesse sido acertado por um raio, ou não. No caso de ter gostado, você não vai querer parar de ouvir, bater o pé e chacoalhar a cabeça. ::

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *