O encanto da inglesa Abi Sophie

IMG_4450_cropped

[Por Natasha Ramos]

De férias em Florianópolis, estava flanando pela ilha da magia quando resolvi parar para tomar um lanche na Lagoa da Conceição numa casa descoladinha chamada Jack & Jacks. Foi lá que a ouvi a primeira vez. Cantando em inglês impecável, o que denotava ser era sua língua materna, a inglesa Abi Sophie, de Londres, encantava quem passasse por ali.

Com voz doce e ar angelical, a multi-instrumentista demonstrava grande habilidade vocal, tocando reggaes e folks em seu violão elétrico, acompanhada por seu namorado, na percussão. Mais tarde, soube que o show a que assisti fora sua primeira apresentação em um local fixo desde que ela se mudou para o Brasil. “Às vezes, tenho tocado/cantado na rua com amigos passando o chapéu. Agora estou procurando mais lugares antes do próximo verão”, explicou a moça ao Palco Alternativo.

A cantora começou a tocar aos quatro anos, incentivada por sua mãe, que era cantora em uma banda, e a ensinou piano, instrumento que Abi tocou até os seus 12 anos. “Ela me ensinou um pouco de flauta também. Violão clássico, aprendi desde dos 7 aos 16, mas não curti muito, achei chato e meu professor não me inspirou . Depois, comecei a compor canções pop e folk e me apresentei poucas vezes até que entrei para a faculdade [Cambridge] e tocava muito com meu ex-namorado, na Inglaterra (ele tocava violino). A gente fazia shows em festas e eventos, era legal”, acrescentou.

Como Abi veio parar no Brasil é uma pergunta que pode ocorrer aos leitores, então ela explica. “Sempre quis viajar para a América do Sul, pois havia aprendido espanhol e a dançar salsa. Cansei do clima de lá, na Inglaterra, e da gente quadrada (excluindo meus amigos). Meu plano, então, foi começar a minha viagem em Florianópolis, onde meu querido amigo morava, pois me apaixonei com ele e agora a gente mora juntos sem previsão de voltar para a Inglaterra”, disse.

Inspirada por Amy Winehouse, Sia Furler e Chico Buarque, Abi diz gostar de músicas que não tem sequências de acordes previsíveis. “Sempre escutei músicas de toda parte do mundo, mas meu estilo de tocar antes de sair da Inglaterra foi a maioria folk, pois meus amigos tocavam, e era a cena de música em Manchester, onde estudei. Desde que cheguei no Brasil, estou compondo, por exemplo, sambas com letras em inglês, como a Man Inside your Head [escute abaixo]”, disse Abi.

A moça tem cerca de dez músicas próprias que toca sempre em seus shows e uma parte de covers. “Eu toco uma mistura de jazz/motown dos anos 50, folk, samba e bossa-nova”, explica.

Atualmente, Abi está com o projeto Trio das Pedras, grupo em que toca, acompanhada por seu namorado na percussão e um amigo que toca violão “incrivelmente bem e faz os solos”, diz a moça. “Agora a gente está tocando com um contrabaixista, e parece que somos uma banda de verdade. Isso aconteceu recentemente e precisamos de um novo nome para a banda.”

Eles têm cinco músicas gravadas, quatro covers e uma autoral, gravadas em uma qualidade DIY, que dá uma boa idéia do estilo de Abi. “Estou começando a fazer um álbum com minhas músicas próprias pela primeira vez, com minha nova banda, e estou muito animada”, comenta.

É possível ouvir alguns sons de Abi no soundcloud do Trio das Pedras. E também no Garden Sessions, em seu canal no Youtube.

Abi que, além de musicista, é professora de inglês e música em Florianópolis, diz que pretende ficar na Ilha até abril ou maio de 2016, tocando com sua banda, principalmente, no verão, quando o movimento aumenta na cidade. “Depois vou viajar de kombi com meu namorado até a Califórnia, o que pode demorar anos e anos, mas queremos voltar para cá no final para morarmos. Vou continuar vivendo de música, na viagem”, completa. ::

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *