O Rock in Rio que você não viu

Rock District: Palco de atrações "lado B" do festival.
Rock District: Palco de atrações “lado B” do festival.

O repórter fotográfico Maurício Porão circulou pelo festival carioca e fala um pouco sobre suas impressões e o que ele e suas lentes captaram

[Texto e fotos por Maurício Porão/Estácio]

Nesta edição do Rock in Rio 2017, fiz parte de uma equipe de fotógrafos contratados pelo próprio festival para desenvolver pautas que não se restringiam à cobertura dos shows em todos os palcos, mas enfocasse os bastidores e público.

Não éramos muito – doze profissionais ao todo – que se revezavam inclusive na parte de edição e “subida” de imagens, com acesso irrestrito ao festival. Todo esse contexto profissional exigiu uma logística complexa e bem trabalhosa e não desdenho de cada segundo de angústia ou de muita satisfação com que me deparei no decorrer desses sete dias. A experiência profissional e principalmente pessoal foi única e inesquecível.

Tem sido muito comum nas últimas edições do Rock in Rio ouvir comentários depreciativos sobre a descaracterização da alma do festival que não abrange mais a coisa do rock em si. O que é fato é que desde 1985, ano de sua criação, o festival sempre foi bem eclético musicalmente tendo sua parcela superior com staffs de bandas de rock consagradas mundialmente em vários estilos seja metal, punk, pop rock, hard rock, classic rock, etc. Todos esses estilos estavam representados na edição 2017, alguns talvez em menos quantidade do que em versões anteriores, mas estavam todos lá acrescidos de outras vertentes como sempre foi o Rock in Rio.

Na divisão das tarefas, fui pautado para alguns shows importantes e “assustadores” e outros um pouco menos imponentes. O que não tinha divisão de tamanho era a emoção de estar ali ao lado de repórteres fotográficos de tudo que é canto do país e do mundo. Com essas fotos, faço uma homenagem a alguns dos dias mais importantes de minha vida.

The Who: Uma das atrações "assustadoras" de tão grandiosas e que genuinamente representavam o espírito antigo do festival.
The Who: Uma das atrações “assustadoras” de tão grandiosas e que genuinamente representavam o espírito antigo do festival.
Alice Cooper: Outro dinossauro "assustador" que marcou com classe e rock n roll de fato  essa versão de 2017
Alice Cooper: Outro dinossauro “assustador” que marcou com classe o rock n roll de fato dessa edição 2017 do festival.
Todas as gerações presentes numa festa "família" que outrora foi "metaleira".
Todas as gerações presentes numa festa “família” que outrora foi “metaleira”.
A dupla Alfre et Bernard dentre outros artistas africanos  apresentavam-se num dos palcos mais interessantes e menos prestigiados pela mídia.
A dupla Alfre et Bernard dentre outros artistas africanos apresentavam-se num dos palcos mais interessantes e menos prestigiados pela mídia.
Por mais divertida que estivesse a festa, por todo o canto era possível perceber quem eram os donos de fato da festa.
Tirolesa: Por mais divertida que estivesse a festa, por todo o canto era possível perceber quem eram os “donos” de fato da festa.
A primeira semana do festival funcionou, principalmente, como uma espécie de evento social de ostentação de estilos e beldades.
A primeira semana do festival funcionou, principalmente, como uma espécie de evento social de ostentação de estilos e beldades.
Público: mais diversidade.
Público: mais diversidade.
Já estamos em 2018? - Moça com a bandeira de Portugal lembra que o festival desembarcará em Lisboa ano que vem.
Já estamos em 2018? Moça com a bandeira de Portugal lembra que o festival desembarcará em Lisboa ano que vem.
Fora Trump: óbvio que não poderia faltar esse tipo de manifestação contra o símbolo mor da direta em voga no mundo atual.
Fora Trump: óbvio que não poderia faltar esse tipo de manifestação contra o símbolo mor da direta em voga no mundo atual.
E também teve Fora Temer!
E teve Fora Temer também!
Derrick Green: o único metal presente era justamente o de casa
Derrick Green: o único metal presente no festival era justamente o de casa.
Andreas KIsser. O único metal presente era justamente o de casa.
Andreas KIsser. O único metal presente era justamente o de casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *