Músico turco com alma cosmopolita: Alper Tuzcu lança “Migrante”

Lançado hoje (21) pela Palma Records, o novo projeto de Alper Tuzcu, “Migrante”, é o primeiro de três EPs e parte de um projeto cosmopolita, inspirado na música e cultura latino-americanas.

[Por Natasha Ramos]

Alper Tuzcu é um compositor, produtor e multi-instrumentista turco, formado pela Berklee College of Music, que mora em Nova York e colabora com artistas brasileiros. “Eu tenho tocado e estudado música brasileira há muitos anos, mas realmente aumentou quando comecei a estudar na Berklee College of Music. Lá, fui ensinado por professores do Brasil não apenas sobre violão, mas também sobre estilos diferentes, como baião, samba e partida-alto”, explica Tuzcu ao Palco Alternativo.

“Também aprendemos sobre os aspectos culturais da música e como ela se conecta à história e à sociedade. Comecei a tocar música com estudantes brasileiros da Berklee e, com uma delas, Bruna Lucchesi, iniciamos um projeto chamado ‘Aigua‘. Começamos a misturar estilos de música mediterrânea como Flamenco, Fado e Rebetiko com estilos brasileiros e criamos um mix que nunca foi feito antes. Esse interesse cresceu ainda mais em mim e comecei a compor músicas originais com base em minha experiência de misturar os dois mundos”, acrescenta o músico.

Migrante e o Brasil

Capa do disco Migrante (2020)

Alper Tuzcu acabou de lançar Migrante, disponível em plataformas digitais, como Spotify e Apple Music e neste site. Composto em Barcelona durante 2019, Migrante é o terceiro trabalho do músico. Antes, vieram Between 12 Waters, lançado em 2016 e influenciado por 12 culturas diferentes – “Por isso, havia muitos estilos”, conta o músico – e Aurora, lançado em 2018, uma introdução aos estilos latino-americanos misturados à música eletrônica.

Migrante está especificamente focado nos estilos de fado, flamenco, jazz e musica latino-americano para criar um som que mistura esses estilos”, explica o músico.

O projeto conta com um seleto grupo de músicos ex-alunos da Berklee College of Music, vindos de países como Colômbia, Brasil, Equador, Estados Unidos e Turquia. “Também colaborei com Helena Beltrão, uma incrível vocalista do Brasil, com quem estudei no Berklee College of Music. Lançamos uma música chamada ‘Felicidade’ e agora temos uma nova música chamada ‘Canção do Pássaro’”, conta o músico.

“Felicidade” é uma bossa nova, primeira canção do músico em português, gravada em 2019, e obteve mais de 150 mil streamings no Spotify. Já a segunda canção de Tuzcu cantada em português por Beltrão, “Canção do Pássaro”, embora seja baseada no fado de Portugal, apresenta uma ligeira torção com percussões inspiradas no bolero.

No segundo semestre de 2020, Alper Tuzcu deve vir ao Brasil para shows de apresentação do novo trabalho no Rio de Janeiro e São Paulo, acompanhado da vocalista brasileira Helena Beltrão.

Pablo Neruda

Migrante também bebe de outras fontes de inspiração latino-americanas, como o trabalho de Pablo Neruda. Com participação da vocalista equatoriana Micaela Cattani, “Con Ella” é outra composição do novo EP, e uma canção do poema homônimo do poeta chileno.

O poema é um exemplo do movimento da antipoesia que buscava se libertar das formas tradicionais de poesia e criar formas de expressão novas e mais livres. “Con Ella” é uma homenagem a Pablo Neruda e à moderna literatura latino-americana, que inspirou Alper Tuzcu como compositor.

 

Leia também: Entrevista com o músico sueco-turco Ilhan Ersahin sobre o projeto Praia do Futuro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *