Vespas Mandarinas mantêm voz ativa no distópico ano de 2020

Banda lança neste segundo semestre o álbum ao vivo “Cala Boca Já Morreu”; confira os singles

Thadeu Meneghini, vocalista e guitarrista das Vespas Mandarinas. Foto: Rui Mendes. 

O estranho ano de 2020 não tem sido capaz de silenciar as Vespas Mandarinas. A banda paulistana manda o recado com o álbum ao vivo Cala Boca Já Morreu, programado para ser lançado neste segundo semestre. O grupo já antecipou uma faixa, “E Não Sobrou Ninguém”, adaptação de um poema do alemão Bertolt Brecht feita por Thadeu Meneghini e Adalberto Rabelo Filho e que teve versão de estúdio lançada no álbum Daqui Pro Futuro (Deck).

A música mostrou que o disco virá sem filtros, isto é, com retoques minimizados, a fim de levar a experiência real do ao vivo diretamente para os ouvidos do público. “É literalmente uma banda tocando ao vivo. Sem overdubs, auto tune , ou maquiagem alguma. A essência das performances das Vespas está toda ali”, conta Thadeu.

A segunda canção lançada como single chegou no começo de junho nas plataformas digitais: “Retroceder Nunca, Render-se Jamais” foi lançada originalmente há 10 anos de forma independente no EP Da Doo Ron Ron e inspirada no filme homônimo de Ng See-yuen.

“Essa é a primeira música que compus para as Vespas Mandarinas. Foi quando senti que poderíamos unir a visceralidade do rock à canção pop. Me inspirei nesse filme porque vejo a nossa banda como uma espécie de samurai, que segue em frente independente das adversidades”, frisou.

Cala Boca Já Morreu, o projeto ao vivo das Vespas, traz o recado que precisamos seguir firmes e fortes, contra o silenciamento e críticos contra a falta de empatia. Os registros do álbum foram feitos todos no ano de 2019, quando o grupo fez uma série de shows por São Paulo. Depois de passar por mudanças de formação, as Vespas mostram que ainda ferroam para valer no palco, com originalidade e primor pela qualidade do som que é levado aos fãs.

Ainda sem data de lançamento divulgada, o registro ao vivo terá 13 canções e foi gravado em formato power trio, com Thadeu nas guitarras e vocais, Helena Papini no contra-baixo (com exceção da música “Carranca”, onde Débora Cristian toca o instrumento) e Peu Lima na bateria.

Ouça os singles de Cala Boca Já Morreu: 

*Publicado originalmente por Lucas Lima, no Eufonia Brasileira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *