10 músicas para ouvir no final de semana

Por Lucas Lima

Com a chuva de singles lançados toda semana, pode ser difícil escolher o que ouvir. Tendo este pretexto como base, vamos selecionar e divulgar todos os sábados 10 canções lançadas recentemente para você ouvir no final de semana. Você pode escutar as faixas em nossa playlist, que será atualizada a cada sete dias (acesse no final da matéria).

1) The Mönic – Just Mad (Acústico)


Faixa lançada originalmente no álbum “Deus Picio” (Deck/2019), “Just Mad” ganhou nova roupagem em versão acústica. Embora o termo traga a ideia de menor intensidade, a canção segue com aura visceral ao mesmo tempo que ganhou vocalizações e dedilhados mais destacados. A letra fala sobre a agonia de uma mulher vivendo em meio às pressões sociais e abusos, como quando “insistem em querer definir o seu estado psicológico, considerando-a brava, triste ou louca demais, geralmente numa tentativa de culpá-la pelos erros dos outros”, explica a guitarrista e vocalista Ale Labelle.

2) Der Baum – Let Me Down

Em letra bilíngue, o quarteto paulista traz o pós-punk oitentista inglês para a nossa realidade tupiniquim moderna (ou quase isso). A faixa antecipa um novo álbum do grupo, que está sendo masterizado na Alemanha. Na mesma linha, outros singles já foram divulgados anteriormente: “Máscara” e “Sai Daqui”

3) Adorável Clichê – Derrota

Primeira faixa em dois anos da banda catarinense, “Derrota” traz inspirada letra existencialista que fala sobre como confrontar a si mesmo, enfrentando ansiedades, medos ou mesmo o excesso de atividade e segurança que nos faz tropeçarmos em nosso próprio pé. Em contraponto, a composição traz ao centro a ideia de refúgio no passar do tempo, tendo o mote de recomeçar e seguir em frente. Tudo isso com base sonora por vezes psicodélica e por outras pop, trazendo absorções do shoegaze e do rock alternativo.

4) Agnes Nunes – Lisboa

A jovem artista paraibana segue fazendo boas canções de R&B, indo na contramão da maioria dos artistas nacionais do gênero, que cada vez mais nos apresentam letras rasas e genéricas dentro de um estilo que está em alta no exterior. Em suas mais recentes canções, Agnes tem feito um paralelo com lugares em que passou durante a vida. Neste caso, Agnes faz relato apaixonado nas ruas de Lisboa.  

5) Luiza Caspary  e Saudade – Ciclobenzaprina 5mg

Outra canção que traz como base o R&B e a soul music, “Ciclobenzaprina 5mg” traz refrão envolvente e marca parceria entre Luiza Caspary e Saudade. O estranho título faz referência a um remédio que tem efeito relaxante, segundo os artistas, o mesmo efeito que quiseram passar com a sonoridade da música. 

6) Thunderbird – Insuportável

Luiz Thunderbird segue na missão de divulgar seu novo projeto, o álbum “Pequena Minoria de Vândalos”, ainda sem data oficial de lançamento. Neste single que antecipa o registro, Thunder nos mostra que o clima no Brasil é insuportável. A letra é de autoria de Rodrigo Carneiro (Mickey Junkies) enquanto a música, que traz dançante sonoridade com absorções do pós-punk, é do próprio Thunderbird em parceria com Guilhermoso Wild.

7) Dinamite Combo – Raise Your Head

A intensidade do funk e do soul norte-americano marcam presença no single do sexteto, que tem como mote a luta contra o ódio, crucial em tempos de tantas polarizações. “O avanço é retrógrado. Dia após dia questões básicas, como o respeito, são postas à prova perante a população carente daquilo que deveria ser o básico do ser humano: o amor. O ódio é difundido com força total por aqueles que, lá de cima, despejam frustrações vazias. Enquanto lá embaixo, migalhas consumidas são artigo de sustento do dia a dia. O ano é 2020 e o Brasil nunca esteve tão carente de direitos”, comenta Yuri Vasselai, baterista da banda. 

8) Nevilton – Irradiar

Com a tradicional mistura de MPB e pop rock, Nevilton nos traz reflexão certeira em tempos de pandemia: “onde esse mundo vai parar?”. A riquíssima letra do artista destaca pontos como saudades, afeto, amor e nos leva para a questão que deve ser sempre a mais importante, a humanidade. 

9) Guaiamoons – Mangue

O duo carioca radicado em São Paulo traz experimentalismos do boombap, trap, rock e música nordestina para fazer metáfora entre o mangue e as ruas da capital paulista. “A ideia do ecossistema do mangue, onde a lama aparenta esconder e sugar a beleza da natureza mas é um solo fértil de vida como as ruas de SP, que apesar da hostilidade de uma megalópole transpira arte e uma multiplicidade ímpar”, reflete o rapper McMãe.

10) Rincon Sapiência – Malícia

Acostumado a experimentar diversas camadas da música africana, Rincon Sapiência não fez diferente em “Malícia”, canção para meter dança” que, ao mesmo tempo, traz versos críticos sobre racismo e violência policial. 

Confira a playlist: 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *