10 músicas para ouvir no fim de semana #13

Com a chuva de singles lançados toda semana, pode ser difícil escolher o que ouvir. Tendo este pretexto como base, selecionamos e divulgamos semanalmente 10 canções lançadas recentemente para você ouvir no final de semana. Você pode escutar as faixas em nossa playlist, que é atualizada a cada sete dias (acesse no final da matéria). Nesta décima terceira edição temos nomes como Edgard Scandurra, Rashid e a banda Violet Soda. Confira:

Rashid – Blindado

Faixa que pertence ao disco “Tão Real”, lançado no início deste ano, virou single por conta de um videoclipe, lançado nesta semana. A canção tem discurso de poder com base em beats pesados, que criam uma atmosfera sombria para a música.

Jessica Cohen – Fire

Vocalista da banda The Red Rivers emerge em carreira solo com “Fire”, seu primeiro single. A canção é um blues moderno com o que há de mais clássico que o gênero nos traz: a sensualidade.

Zé Manoel – Adupé Obaluaê

O cultuado pianista e cantor pernambucano Zé Manoel dá um gostinho do que será o seu próximo disco, “Do Meu Coração Nu”, com “Adupé Obaluaê”. “Eu sonhei com essa música cantada por um coro, desses característicos de terreiros de candomblé, acompanhado por tambores vibrantes, uma coisa linda.

“Acordei com a música reverberando… Adupé meu pai Obaluaê… Na mesma hora peguei o celular e gravei a música, já acompanhando com o piano da forma que toquei na gravação do disco. Luisão Pereira produziu e gravou o baixo, Letieres Leite escreveu o arranjo de sopros. Tedy Santana, de Salvador, tocou a bateria, Alexandre Rodrigues, de Pernambuco, gravou os instrumentos de sopro, um por um. É a faixa mais importante do disco. Por isso resolvemos abrir os trabalhos com ela”, conta Zé Manoel.

Naviloca – Meu Lado Blue

Entre blues e folk, a Naviloca nos traz em “Meu Lado Blue” um retrato reflexivo sobre os nossos tempos atuais, desde “paixões modernizadas” até as fake news.

Atalhos – A Tentação do Fracasso

A banda Atalhos nos mostra mais um single que estará no próximo disco do duo. Desta vez, a canção é a que dá título ao álbum. “A composição conta sobre um caso que eu presenciei há uns anos, o suicídio de um homem que pulou do prédio ao lado do meu edifício e acabou caindo bem na entrada do meu prédio. Na letra – e no roteiro do clipe também – falamos sobre essa queda de uma pessoa que se jogou, mas que durante o momento em que está caindo acabou ganhando asas e saiu voando. A partir daí acontece toda uma viagem onírica e um mundo novo se abre”, conta o vocalista Gabriel Soares.

Silva – A Coisa Mais Linda Que Existe

Composição de Gilberto Gil e Torquato Neto, lançada orginalmente em disco por Gil em 1968, “A Coisa Mais Linda Que Existe” ganha releitura de Silva, com mais leveza e delicadeza no lado “samba” da faixa. A regravação foi feita a pedida da Rede Globo, para a série Amor e Sorte.

Violet Soda – Bad Thoughts

Única faixa inédita do recém-lançado EP “Hang in There”, “Bad Thoughts”, na verdade, quase fez parte do primeiro álbum da banda paulista. Na ocasião, a música foi deixada de fora do álbum porque ainda não tinha uma letra. A composição foi finalizada durante a pandemia e tem versos que retratam situações vividas por duas pessoas que compartilham um período intenso de isolamento social.

Edgard Scandurra – Contente

Edgard Scandurra pegou seu celular e deu aura caseira para “Contente”, canção gravada por dispositivo móvel que antecipa o próximo disco solo do artista. Totalmente acústica, a música tem sonoridade melancólica e letra composta por Juliana R. O álbum será lançado em novembro.

Fernando Grecco – Canto

Fernando Grecco reflete sobre sensações e motivações que o guiam em seu ofício nesta música que antecipa seu próximo álbum.

“Sempre me considerei mais instrumentista do que cantor, mas desde sempre adoro e preciso cantar. Esse é um processo intenso e libertador. Muitas vezes, quando estou com um problema ou tenho uma decisão importante para tomar, o canto me ajuda a sair do lugar mais racional e ir para o intuitivo, lúdico, desatando os nós que criamos em nossa existência e que nem sempre parecem simples de resolver… A arte nos transforma. Permite que a gente fale coisas de uma forma que não conseguiríamos dizer de um outro jeito. Aliás, gosto de lembrar que em uma aldeia indígena todos cantam, dançam e pintam, assim como trabalham, caçam, pescam e cuidam das crianças. A arte, pra mim, deveria ser parte integrante da vida, nos ajudando a constituir quem somos, como sujeitos “desejantes” ou simplesmente humanos. Um ato inclusivo e democrático”, explica.

Rodrigo Fontoura – Poeta Cantador

Samba em moldes clássicos abre “Canções do Meu Quintal”, EP de estreia do cantor e compositor gaúcho Rodrigo Fontoura. Embora apenas agora o artista estreie no mercado da música, Rodrigo tem afinidade com a música desde a infância e há muito tempo colhe grande admiração pela MPB, em especial, pelo samba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *