10 músicas para ouvir no fim de semana #14

Com a chuva de singles lançados toda semana, pode ser difícil escolher o que ouvir. Tendo este pretexto como base, selecionamos e divulgamos semanalmente 10 canções lançadas recentemente para você ouvir no final de semana. Você pode escutar as faixas em nossa playlist, que é atualizada a cada sete dias (acesse no final da matéria). Nesta décima quarta edição temos os novos singles de Siso, Kikito, Liniker e muito mais. Confira:

Ok John – Take It

Este rock alternativo vibrante, que tem referências de nomes como Arctic Monkeys é uma das três faixas que marcam o EP de estreia do cantor, guitarrista e compositor João Pedro Leite. 

Siso – Pop Antigo

Siso continua a trabalhar na divulgação de seu próximo álbum e “Pop Antigo” é o mais recente single do artista que antecipa o registro. Nesta faixa, ele revive a new wave dos anos 80 em uma produção que soa bastante moderna, em uma mistura com synthpop e technopop. 

“É uma música sobre apego e incompatibilidade dentro de um relacionamento. Sobre a coragem de encarar a ruína anunciada, reconhecendo o desejo e aprendendo qual é o momento de se afastar. Um passado que não desaparece é um futuro que não chega”, conta o cantor. 

Kikito e Malu Guedelha – Jogo de Espelhos

Kikito se une novamente com Malu Gedelha (musicista/vocalista da banda O Cinza) nesta deliciosa canção de aura pop, que traz referências, segundo o próprio cantor, de artistas como Marina Silva e Daft Punk. 

“’Jogo de Espelhos’ não é assim tão festeira em seu tema central, que propõe pensar nessa nossa tendência de se enxergar no outro quando estamos tentando buscar/entender a si mesmo”, explica o artista. 

O cantor tem seu próximo álbum planejado para 2021. Com Malu, ele já lançou também as músicas “Retina” e “Sai Dessa”.

Clara Valverde e Jovem Dionísio – Amor de Cão 

Clara Valverde e a banda Jovem Dionísio são artistas que têm despontado como grandes promessas da música nacional. De fato, eles lançaram até aqui canções que são, ao mesmo tempo, palatáveis para grandes massas e contam com pitadas de originalidade, principalmente o grupo que tem origem em Curitiba. “Amor de Cão” perde no quesito originalidade ao depararmos que outros nomes da MPB têm feito músicas com uma fórmula muito parecida, porém ainda é muito válido valorizarmos estas canções que primam por uma boa letra, uma boa produção e que tenha ambição de ocupar espaços, algo que está em falta se analisarmos o nosso atual mainstream. 

Jona Poeta – Beijos Sem Sabor

Jona Poeta cai no samba em mais um single que antecipa o seu próximo EP. O registro terá como tema central questões que versam sobre autoconhecimento e amor próprio. “Beijos Sem Sabor” traz as dúvidas questões e argumentos que o narrador teria com quem já não está mais na sua vida.

“Essa é a quarta faixa do EP e versa sobre um momento de em que o narrador percebe inúmeras vozes lembrando-o sobre o seu próprio valor. Enquanto assiste às aventuras do ex após o término, ele começa a se distanciar para viver o amor mais importante de todos, o próprio. É a vida seguindo e a letra traz todos os questionamentos que eu teria feito a ele se não estivesse tão ocupado de me amar e me conhecer, algo que não deixava espaço para participar do momento dele”, reflete Jona.

Liniker – Psiu

A cantora Liniker começa uma nova fase em sua carreira, desgarrada da banda Os Caramelows. Esta é a primeira canção autoral que a artista lança nas plataformas de streaming. “Psiu” é faixa que ecoa leveza, até pela forma de cantar da artista, em sonoridade que valoriza as linhas de contra-baixo e o som acústico do violão.

Mahmundi – Nova TV (sessão acústica)

A ótima faixa “Nova TV”, lançada originalmente no álbum “Mundo Novo”, neste ano, é uma das três canções que ganharam versão acústica para o EP “Sessão Aberta Acústico”. A nova roupagem mantem a elegância da música além de dar um tom maior de sutileza. 

Anunciação (Feita de Casa)

Recorrer aos clássicos não faz mal a ninguém. E, hoje, trouxemos dois. A primeira citada aqui é “Anunciação”, gravada totalmente de casa na já conhecida parceria entre Alceu Valença e a Orquestra Ouro Preto. A faixa dá sequência ao projeto “Valencianas em Casa”, lançado em julho com o clipe de “Tomara”. 

“O projeto surgiu da impossibilidade de realizarmos os concertos previstos para este ano em função da pandemia. São canções de Alceu que falam de esperança num momento de superação para toda a sociedade – explica o maestro Rodrigo Toffolo.

Elza Soares e Titãs – Comida

O outro clássico aqui citado é “Comida”, dos Titãs, que ganhou versão na voz de Elza Soares, com participação dos músicos paulistas. Elza pensou na faixa para entrar no disco “Planeta Fome”, no ano passado. Porém ela preferiu guardar a gravação para lançar numa ocasião especial e apenas registrou os versos “Você tem fome de que/Você tem sede de que?”. A tal ocasião especial é o aniversário de um ano do disco, que foi indicado ao Grammy Latino.  “Escolhi essa música porque acho impressionante a força de sua letra e a interpretação dos Titãs, de quem sempre fui fã” – disse a cantora. 

Vedoví e Natália Esteves- Maiores Rivais

Vedoví, integrante da banda 335, emerge no rap com o single “Maiores Rivais”, uma canção que emscla beats eletrônicos com riffs de guitarra. A canção aborda o preconceito racial e tem a participação da cantora Natália Esteves. 

“A música conta uma experiencia rara, quando o racista se depara com algo tão forte, tão conhecido por meios ancestrais até, que é como se caísse um véu que cobria seus olhos. Como se, mesmo com toda criação racista, em um país recém saído da escravidão, uma educação intensiva e ininterrupta pautada na premissa racista, não fossem forte o suficiente para dar conta desse algo tão forte e avassalador”, conta Vedoví.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *