10 músicas para ouvir no fim de semana #15

Com a chuva de singles lançados toda semana, pode ser difícil escolher o que ouvir. Tendo este pretexto como base, selecionamos e divulgamos semanalmente 10 canções lançadas recentemente para você ouvir no final de semana. Você pode escutar as faixas em nossa playlist, que é atualizada a cada sete dias (acesse no final da matéria). Nesta décima quinta edição temos músicas de Duda Brack, a inédita de Itamar Assumpção e muito mais. Confira: 

Duda Brack – Toma Essa

Mais um single de “Caco de Vidro”, próximo álbum de Duda Brack, “Toma Essa” traz a visceralidade característica nas canções da artista. A composição versa sobre relacionamentos tóxicos e vem com um videoclipe super produzido, com participação de ninguém menos que Ney Matogrosso.

Itamar Assumpção – Beleléu Via Embratel

Canção criada para o festival MPB-Shell, de 1981, chegou oficialmente aos ouvidos do público via serviços de streaming. A música nunca entrou em um álbum de estúdio e para este resgate conta com as participações de Edy Trombone Vange Milliet, Tata Fernandes e Liniker além de, claro, a banda Isca de Polícia. Imperdível. 

Ana Muller – Fragmentar

Canção já conhecida pelos fãs de Ana Muller ganhou produção melhor trabalhada para anunciar “Prelúdio”, o novo projeto da cantora. 

“Achei que antes de lançar um projeto totalmente novo existia uma urgência em dar uma atenção para essas canções do passado tão queridas pelas pessoas, todas essas canções marcaram minha vida e a do meu público, nossos primeiros shows em São Paulo, a primeira turnê no Nordeste, os primeiros festivais importantes, são tantas histórias”, diz a artista.

Arnaldo Tifu – Vidas

Uma das coisas mais inexplicáveis é o sentido da vida. Arnaldo Tifu fala justamente sobre isso nesta faixa, porém não no sentido em si, mas, sim, como ela caminha, por vezes com perdas, despedidas e caminhos inesperados. A canção antecipa o próximo álbum do artista, projetado para o próximo ano.

Flávia K e Ill Camille – Dias Bons

Flavia K se une a rapper californiana Ill Camille nesta faixa de aura leve de mensagem otimista: dias melhores virão. Para os esperançosos, é um bom simbolismo diante a este período conturbado da humanidade. 

Hayz – A Soma de Todos os Medos

Que todo ser humano no mundo inteiro sente medos não é novidade, mas há quem está mais propenso a isso. O trio paulistano Hayz traz o medo sobre a visão feminina, tendo em vista que as mulheres estão mais vulneráveis a tantas violências, vide os casos que tanto vemos nas redes sociais. 

“A letra fala sobre os diversos medos que as pessoas sentem, mas, sobretudo, de um medo específico e universal para nós mulheres: o medo de andar na rua, à noite”, define Josie Lucas, vocalista e guitarrista.

Llari e Manoel Cordeiro – Calor

Llari se une a Manoel Cordeiro e a Donatinho, que assina a produção desta faixa, para chamar o público para dançar e também para sentir o gostinho do que será o disco de estreia da artista. “Esse som é divertido, ‘inocente’ e ‘swingado’ que nem o brasileiro. Quando canto, estou chamando quem ouve para brincar e se jogar na roda comigo”, diz Llari. 

Marina Silva – Fixos e Fluxos

Marina Silva emerge no cenário fonográfico com um single duplo. Uma dessas faixas é “Fixos e Fluxos”, canção feita com base em um poema que versa sobre as tantas lutas que as mulheres enfrentam no dia a dia. 

Rafael Rocha e Ney Matogrosso – Boca

Divertido samba de composição de Felipe Rocha, “Boca” tem a luxuosa participação de Ney Matogrosso e antecipa o disco “Pedra”

Gaê – O Último Dia

O cantor brasiliense lançou uma releitura desta composição que é de autoria de Paulinho Moska e Billy Brandão, que antecipa o EP “Só – A Dois”.  A versão já estava sendo trabalhada há 5 anos pelo artistacom arranjo em tango elaborado para a peça “Boa Sorte – O Musical”, um espetáculo musical autobiográfico sobre viver com HIV, criado por Gaê, até então conhecido como Gabriel Estrela nas redes sociais. Agora, a música ganhou novo arranjo, assinado por Mar Nóbrega. “A faixa traz várias vozes sobrepostas, 10 ou 12 de violoncelo. A percussão, tudo o que vocês vão ouvir é violoncelo, e voz!”, conta Mar Nóbrega. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *