10 músicas para ouvir no final de semana #16

Com a chuva de singles lançados toda semana, pode ser difícil escolher o que ouvir. Tendo este pretexto como base, selecionamos e divulgamos semanalmente 10 canções lançadas recentemente para você ouvir no final de semana. Você pode escutar as faixas em nossa playlist, que é atualizada a cada sete dias (acesse no final da matéria). Nesta décima sexta edição temos músicas de Pitty, Teago Oliveira, Carne Doce e muitos outros. Confira: 

Pitty – Na Tela

A cantora Pitty tem cada vez mais experimentado outros caminhos para suas músicas. Não é diferente em “Na Tela”, faixa com um toque mais acentuado de pop. “Na Tela” surgiu no começo da quarentena, quando os computadores e celulares ganharam papéis fundamentais na nossas vidas e nos nossos relacionamentos. “Fiquei imaginando um roteiro inspirado nisso. Primeiro veio o groove do refrão, uma coisa rítmica e percussiva, gosto de brincar com ritmo nas palavras” – comentou Pitty. Aí ela mostrou para o músico e produtor Daniel Weksler, que criou um beat. Depois chamaram Martin para gravar a guitarra e “manter o rock dentro de uma música pop”

Aya – Caos

Neste single, Aya traz novamente seu bem produzido R&B, porém para falar sobre o caos, tanto no mundo lá fora, quanto em uma visão mais introspectiva. A faixa faz parte do EP “Ainda É Tempo”, lançado recentemente com a assinatura de DJ Duh na produção musical.

Teago Oliveira – Esotérico

Clássica faixa de Gilberto Gil ganhou versão assinada por Teago Oliveira (Maglore). Isto porque a Rede Globo convidou o artista para dar um novo tom para a faixa, tendo em vista a inclusão da mesma na série “Amor e Sorte”. 

“Para mim foi um grande presente. Nesse estranho momento, em que vivemos muita descrença, ela fez fagulhar um pouco de esperança para mim. Decidi, então, anexá-la a minha modesta carreira e espero que ela faça a balança dos corações de quem a escuta pender pro lado mais bonito, mais esperançoso e amoroso. Produzi ao vivo, em casa, apenas voz e guitarra. Icaro Reis fez a mixagem e Fábio Roberto a masterização” – comentou Teago.

Luana Berti – Gaveta

Luana Berti faz um samba moderno com um pé na música pop nesta faixa que tem produção de Giu Daga e direção artística de Rick Bonadio. 

“Gaveta é uma das minhas músicas e composições favoritas. Ela fala de amor, aquele que é simples e fácil de sentir. Fala como é gostoso compartilhar a vida com quem se ama e principalmente, sobre a felicidade que é a chegada desse alguém”, comenta a compositora.

Abronca – Pelos Meus Ancestrais

O duo de rap Abronca mais uma vez capricha na lírica da canção ao abordar os tantos problemas enfrentados pelo povo preto. “Estávamos muito impactadas pelo que tava acontecendo, com o Black Lives Matter e os casos de violência policial. Senti muito na alma a dor dos nossos ancestrais e comecei a escrever. Nossa mensagem veio pra bater de frente com o racismo e genocídio da população negra. Esse som ele é um grito pra dizer que não vamos mais ficar calados diante toda violência, que não vamos mais aceitar que sangue preto seja derramado injustamente”, conta Jay.

Derek – Isso é Rap?

Essa é outra canção que nasceu influenciada pelas violências sofridas pela população negra no mundo inteiro. “Escrevi essa música na noite em que aconteceu o assassinato do George Floyd e todos os protestos antirracistas. Eu mesmo gravei e mixei em casa. Já estava pensando em fazer um boom bap porque, a cada som que eu faço, estou conquistando um público novo e algumas pessoas não imaginam que eu também faço esse tipo de som”, conta Derek.

ASA – Sempre Mais

Faixa de alto astral, capitaneada por influências oitentistas de sintetizadores, “Sempre Mais” antecipa o EP “Instintos”. “‘Sempre Mais’ fala sobre como a beleza está nos pequenos gestos, no olhar carinhoso para o outro, na empatia e não na plástica superficial”, revela o duo.

Carne Doce – Fruta Elétrica (Ao Vivo)

Música presente no primeiro álbum da música goiana é uma das presentes no registro ao vivo lançado pelo Selo Sesc nos serviços de streaming. A canção, assim como todas as outras do registro, mostra que o grupo é muito mais intenso e soa melhor ao vivo do que nos registros de estúdio. 

Rodrigo Alarcon – Na Frente (Ao Vivo)

Este é outro registro ao vivo, agora do paulista do Rodrigo Alarcon. Aqui, porém, o clima é mais intimista. “A canção foi composta há muito tempo, no começo dessa leva de composições de autoconhecimento, sobre entender como eu sou como artista solo e o que eu tinha para falar. É uma música que fala sobre crescer e estar tudo bem as coisas não estarem tudo no seu controle, e que acabamos aprendendo andando no escuro e batendo de frente na parede até aprender a pôr a mão e sentir que o caminho está livre, aumentando essa percepção”, comenta o cantor. 

Janu – Povo Brasileiro 

Blues, eletrônico e samba estão nesta faixa que faz paralelo com o livro de mesmo nome do sociólogo Darcy Ribeiro. A faixa, que tem tom crítico, ainda conta com a participação de Paulo Franco, da banda Gato Negro. 


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *