10 músicas para ouvir no final de semana #21

Estamos de volta com a nossa seção semanal que traz, a cada final de semana, 10 músicas de artistas brasileiros para você conhecer e aproveitar durante o seu descanso (ou mesmo durante suas tarefas). Você pode ouvir todas as faixas em nossa playlist, que está disponível no final da matéria. Ela é atualizada semanalmente, junto com o texto. Nesta edição, temos músicas de Serena, Stefanie, Pablo Vermell e muito mais.

Confira:

Serena – Dengo

Com forte groover calcado no R&B, Serena traz a comunicação sensorial, os sentimentos e desejos comuns na vida dos seres humanos e que muitas vezes ficam escondidos. “A inspiração de ‘Dengo’ foi um chegar em casa, cheia de memórias, de momentos muito gostosos, de vontades que eu não precisava guardar pra mim, uma reciprocidade no toque. Foi uma memória de um momento muito valioso, muito genuíno e puro, no meio de um desejo que às vezes a gente acredita que ele não é profundo e sagrado, né? É um desejo profundo de uma coisa que às vezes a gente acredita que seja uma surpefície de um sentimento”, conta Serena.

Carol Faria – Tanto

“Tanto” é uma canção de MPB com um toque pop, radiofônico. Não é para menos, a cantora carioca Carol Faria trabalhou neste single junto ao produtor Jeff Pinas, que tem interferência em sucessos de Tiago Iorc e Alceu Valença. 

Leonel – Coisa Ruim

Samba e bossa nova é a mistura usada por Leonel neste single que, na verdade, é só uma parte de um projeto iniciado em 2018 e que agora tem chegado ao público. No ano passado, o artista lançou um EP homônimo

Ramiro Pinheiro – Tutu

Se você curte samba clássico, vai gostar do trabalho de Ramiro Pinheiro, que inclui em sua música fortes raízes do jazz. 

Márcia Guzzo – Acima das Vaidades

Márcia convida o ouvinte para um um mergulho dançante na black music, com uma mensagem forte e muito alto astral. “Eu escrevi essa música há alguns anos quando, de fato, percebi minhas raízes e a minha ancestralidade. A música fala muito do cabelo, que é quase como um símbolo. É realmente por onde a mulher, e principalmente a mulher negra, percebe a sua identidade”, diz a artista.

A faixa tem produção musical do Kassin e antecipa o próximo EP da cantora, que deve ser lançado neste mês. 

Pablo Vermell – Vitral

Pablo Vermell destaca a entrega que o amor nos obriga a ter nesta faixa em parceria com o argentino Mily Taormina. A canção antecipa o EP “Fugaz” e traz influências do rock e do pop dos anos 80. 

“Vejo que toda relação nos coloca em risco de alguma forma. Sempre existe a possibilidade de frustrações e mágoas. Então é importante enxergar a preciosidade de cada momento. E essa música destaca justamente essa entrega do eu-lírico”, explica o artista. 

Ítalo Azevedo e Gabriel Aragão – Tempo de Partir

Ítalo Azevedo tem preparado o disco “Ensaio Sobre o Tempo” e “Tempo de Partir” é um gostinho do que será o registro. Aqui, o músico se une a Gabriel Aragão (Selvagens À Procura da Lei). 

“Trazemos reflexões importantes sobre nossa noção de envelhecer, do passar dos dias, do amarelar das páginas dos livros e do quão importante é reverenciar as nossas lembranças, valorizando as origens como um meio de traçar novos caminhos. Esse som é sobre sentir o relógio no ar. É sobre escrever uma carta ao futuro e registrar que sempre vale a pena mais um dia. E mais outro. E o seguinte. Afinal, algo de muito interessante ainda pode acontecer e não importa em qual fase da vida você esteja”, destacam os artistas que, também, dividem a autoria do single.  

Jedias Hertz – O Drink da Meia-Noite

Jedias Hertz inicia os trabalhos para o disco “Maverick Voador” com o single duplo “2 Drinks”. Uma das faixas é “O Drink Da Meia-Noite”, uma crônica psicodélica soturna, onde o personagem principal descobre que o pós-vida é muito melhor para quem aproveito bem os tempos de vida. 

Juliana Linhares e Zeca Baleiro – Meu Amor Afinal de Contas

Juliana Linhares, revelada no grupo Pietá, antecipa seu disco solo de estreia com o single “Meu Amor Afinal de Contas”, em parceria com Zeca Baleiro. 

“Peguei uns escritos, algumas dores do tempo, e enviei para o Zeca”, conta a cantora. “E foi incrível quando ele me enviou a música pronta. Chorei, senti uma energia poderosa pelo corpo, uma emoção enorme e uma esperança suave nas surpresas que a vida ainda pode nos trazer. É preciso insistir em viver. Nem sempre é fácil, mas o passar dos anos e a maturidade nos ensinam tanto. Tem muita coisa aí esperando por nós.”

“Fiquei muito feliz de compor e cantar com a Juliana Linhares”, diz Zeca. “É uma artista muito intensa e genuína e nossa primeira parceria resultou numa canção especial, de atmosfera dramática, teatral. Que esta seja a primeira de muitas. A música brasileira é uma árvore frondosa, sempre dando novos e belos frutos”, completa. 

Stefanie e Zudzilla – Raio de Sol

A nossa seleção de hoje termina com “Raio de Sol”, o primeiro single de Stefanie em 2021. A artista traz por meio das rimas muitos dilemas, ao mesmo tempo em que, junto a Zudzilla, fomenta uma atmosfera acalentadora. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *